sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL!!!


FELIZ NATAL para todos, pertencendo a esta Enorme e Bonita Família Benfiquista ou não. Há épocas do ano em que se deixam de lado os "clubismos" e as "rivalidades" e hoje é uma delas. No entanto, não posso deixar de desejar que o vosso Natal, assim como os restantes dias do ano, sejam mais... vermelhos.
Que a magia desta quadra se prolongue nos restantes dias do ano e que, com ela, haja sempre Paz, Amor e Saúde.
Um bem-haja a todos



Já agora, o Savi deseja-vos, também, e em nome da equipa um Santo e Feliz Natal bem acalorado pelas seus chapéus, passes de letra (isso é mais para o Di Maria), etc etc.
Obrigado Savi pela melhor prenda: o golo de Domingo, que abalou o País e que permitiu a muitos milhões de pessoas passar um Natal mais Feliz.

Um autêntico Pai Natal o nosso Saviola, faça chuva (como no caso) faça sol.



Saudações Gloriosas!!!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

BENFICA (1) - Porto (0)!!!!!!!!

Antes de mais, expresso aqui um sincero pedido de desculpas pela falta de actualização deste cantinho. Apesar de acompanhar a par e passo, obviamente, o dia-a-dia do meu clube, a verdade é que não tenho tido muito tempo, por força dos compromissos e encargos - em grande parte - académicos. Daqui para a frente será assim - poucas actualizações -, com muita pena minha mas há prioridades e objectivos que têm de ser cumpridos. Quem me conhece sabe que quando faço algo tenho de estar dedicada a 100%. E, também, quando escrevo tem de ser com tempo e tem de ser algo muito próprio - bem ou mal -, mas à minha maneira.
A todos um Feliz Natal, sendo Benfiquistas ou não. Que tenham um Natal Vermelho (faz parte!) e um Óptimo 2010. Que o próximo ano nos traga um Benfica Campeão. Eu ACREDITO.

Posto a prévia introdução, uma saudação especial a todos os benfiquistas que habitualmente visitam este cantinho e me incentivam a escrever e postar continuadamente. Meus caros, podem crer que não é falta de motivação, de todo.

Entretanto, neste lapso temporal, o Benfica já jogou várias vezes e outros tantos acontecimentos do "Mundo Benfica" sucederam-se.
Não me vou alongar nos jogos que decorreram já algum tempo, pois esses já foram escritos, reescritos, comentados, debatidos nesta imensa blogosfera encarnada. Está tudo dito, portanto.

O último jogo do nosso Glorioso foi, como se sabe, ontem à noite frente ao FCP. Nada melhor que "regressar" à escrita, em sintonia com uma bela vitória do nosso SLB frente ao eterno rival da Invicta.
Foi um bom jogo, com casa cheia - como seria de esperar. Um ambiente fantástico, um autêntico Inferno da Luz, onde reinaram os cânticos de apoio à equipa e as coreografias de crença num futuro risonho. "BENFICA CAMPEÃO" lia-se na bancada Meo, quando da entrada das equipas, e ao som do nosso lindo hino. Arrepiante!
Foi uma grande vitória, não pelo resultado tangente de 1-0 (nem que fosse meio a zero!!), mas pela vitória da luta, entrega, ambição, união, crença, espírito de sacrifício, etc etc. Uma vitória "à Benfica!", portanto.
Uma Vitória que é, em grande parte, dedicada a todos aqueles que não acreditavam na vitória "de um Benfica desfalcado, sem alguns dos seus habituais titulares", àqueles que durante a passada semana, especialmente, fizeram de tudo para desestabilizar a gloriosa equipa; àqueles que alinharam nas habituais trocas de palavras mesquinhas, nas insinuações (como se isso bastasse para derrubar o Gigante Benfica....); àqueles que não sabem perder, que não dão o braço a torcer, que não reconhecem a sua natural inferioridade e insignificância; àqueles - ainda - desesperados e amedrontados com o domínio da Águia.

Como por ironia do destino, o Benfica, sem alguma peças fundamentais, sem estar na máxima força, ora por castigos estrategicamente cozinhados, ora por lesões, fomos claramente superiores, mesmo com todas as adversidades evidentes que afectaram a-m-b-a-s (!!) equipas, ao plantel que se diz "melhor" e que estava na máxima força.
Considero que o jogo de ontem foi a prova dos nove e, por isso, as evidências estão à vista, para tirarmos as nossas conclusões. Eu já tirei as minhas e muito antes do jogo: o Benfica é O candidato ao título, está mais forte em relação à concorrência; vale mais do que muitos julgam; a equipa que melhor pratica futebol em Portugal (e arredores!); é a equipa que dá show e alegra o povo português;...

O Benfica dominou, marcou e foi o justo vencedor do clássico de ontem. Soube brilhar, defender com muita classe e sofrer como só os campeões sabem. Estão de parabéns, rapazes!
Toda a equipa esteve bem e foi lindo assistir à vossa união, à entre-ajuda a cada lance. Somos os maiores, somos os melhores, somos BENFICA!!
Permitem-me destacar três jogadores, apenas: Saviola - pelo enorme jogador que todos sabemos que é, pelo golo, pela sua classe, pela magia que nos transmite a cada dança, a cada tango; Ramires - por recuperar de uma lesão com algum grau de gravidade em pouquíssimo tempo, por ser um trabalhador nato, por ser o principal rosto do esforço, dedicação, amor à camisola e muito (mas muito mesmo) espírio de sacrifício. Só pensa em ajudar o Benfica e os seus colegas, sacrificando-se a ele próprio. Saiu do relvado - literalmente - estourado, no limite e ovacionado (como merece!); e David Luiz - não me canso de repetir: é um enorme jogador! Um atleta "à Benfica" ("AMO O BENFICA. AMO JOGAR NO BENFICA. VOU FICAR" - lindoooooooo!!! Que ORGULHO, DAVID!). Deixa a pele em campo se preciso for. Além disso, ontem ainda "salvou" um adepto, seu fã, que invadiu o campo em sua direcção, para o... abraçar. Como é óbvio, isso não é permitido e o adepto foi rapidamente rodeado por seguranças. David, qual Salvador da Pártia, Homem Justo, soccoreu o adepto, abraçou-o, ofereceu-lhe a sua camisola e protegeu-o, levando-o, até à sua bancada, para evitar que fosse levado pelos seguranças. Não é novidade este seu gesto, pois tem um coração de ouro.
Urreta também esteve muitíssimo bem. Jogou e brilhou, correspondendo à fasquia de "grande surpresa do classico". E esta hein?!
Fantástica gestão por parte de JJ e sua equipa técnica do jogo. De certeza que Jesualdo andou a semana toda, com as voltas trocadas, a tentar (!) decifrar o "enigma da equipa gloriosa". Ora as gripes de alguns jogadores, ora a lesões,... "Aimar - Ramires- Javi e C. Peixoto"? "Menezes - Ramires - Javi e C. Peixoto"? "Aimar - C. Martins - Javi e Peixoto"? "Ohhh diabo!!!". Eheheheh, que bailinho que o FCP levou. Ao que parece, a sabedoria do Porf. Jesualdo, que já sabia que Ramires iria jogar (conhece a táctica) não adiantou muito. Temos pena! "Que seja um Bom Natal para todos VÓS!!"

PS. Recuso-me a falar no penalty de C. Rodriguez. É tão claro que nem vale a pena falar. Pior cego é aqueçe que não quer ver!



AMO-TE BENFICA!!!!!!

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

FORÇA BENFICA!!!


Depois de conquistar todas as taças em que participou esta época, o nosso Benfica - talvez por ironia do destino; ou não - foi eliminado, de uma Taça (a de Portugal!), frente ao Vitória de Guimarães no Estádio da Luz.
Éramos a equipa que tinha a tarefa mais complicada. O sorteio, quando comparado com os nossos principais rivais, não nos foi favorável.
A nossa equipa - como todas - vinha de uma paragem no campeonato, devido aos compromissos das selecções. Não gosto, sinceramente, destas paragens. A uns quebra o ritmo, a outros ajuda-lhes a ganha-lo, dizem (se bem que hoje, frente ao Chelsea, vi um ritmo igual ou muito parecido. Enfim, teorias!).
Faltou-nos, por azar, o nosso patrão da defesa: Luisão, que tanta falta nos faz.
Faltou-nos, em consequência de uma estratégia há muito lançada, o nosso goleador-matador: Cardozão!!
Alguns jogadores não jogaram ao nível que nos habituaram. Não comprometendo a equipa, não ajudaram a resolver o jogo, como outrora. Estavam, de facto, num dia menos bom. Acontece aos melhores.
No entanto, apesar de todas as circunstâncias que envolveram a eliminatória, não há nada que justifique a derrota, até porque o Benfica está (não "esteve", como alguns nos querem fazer crer!) numa boa fase. Foi uma derrota surpreendente, tendo em conta a nossa campanha desde o início, mas isso não afasta a convicção de que temos uma grande equipa, que continuará a brindar-nos com bons resultados (e um deles será já no Sábado, em Alvalade. Eu acredito!!!).
Deveríamos ter ganho, mas isso não aconteceu. Não tivemos a sorte do jogo, não fomos felizes na finalização, mas fizemos de tudo para ganhar. Fomos superiores, mas isso não bastou.
Só tenho a lamentar a atitude com que os adversários entram na Luz, que não beneficia nem dignifica em nada o futebol português.
Infelizmente, não estaremos na final, como era o nosso objectivo, numa festa tão bonita como é a Taça de Portugal.
Bem sei que muita gente estava à espera do nosso primeiro deslize, a começar, desde logo, pela imprensa: "E chega a primeira derrota de Jesus em casa"(in Record). Não é nada que me surpreende e que, pelo contrário, só confirma a ideia que os Benfiquistas têm de toda uma atmosfera desestabilizadora. Para "vocês": «Vamos ser campeões!», quer queiram ou não.
Para os Benfiquistas: vamos continuar unidos, vamos responder ao pedido do nosso capitão Nuno Gomes, continuando, portanto, com a equipa, caminhando lado a lado, na nossa longa caminhada. Ainda há muito que conquistar, pelo que ainda há muito que festejar. E, no final, "iremos festejar todos juntos".


Entretanto, já é conhecido o nosso calendário para a Taça da Liga.

Grupo C (Benfica, Nacional, Rio Ave e V. Guimarães):

2 e 3 de Janeiro:
Benfica-Nacional;
V. Guimarães-Rio Ave;

13 Janeiro:
V. Guimarães-Benfica;
Rio Ave-Nacional;

23 e 24 Janeiro:
Rio Ave-Benfica;
Nacional-V. Guimarães;

O nosso grupo é, de longe, o mais complicado. Porém, estou satisfeita, particularmente, com o sorteio. É sempre especial o meu/nosso Benfica debater-se com o Rio Ave. Mal posso esperar pelo especial Rio Ave-Benfica em dia, quiçá, especialíssimo. Há coisas fantásticas, que nos deixam a pensar... :)
AMO-TE BENFICA!!!!!!!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Até sempre, Enke!!!!


Como todos sabem, a família Benfiquista está de luto.
Neste momentos não há muito a dizer... foi (e continua a ser) um dos nossos, mas acima de tudo trata-se de um ser humano.
Faleceu aos 32 anos de idade, com tanta vida pela frente, deixou a esposa e uma filha adoptiva com 8 meses.
Deixou-nos no momento em que regressava à competição, após dois meses difíceis de paragem devido a um problema no intestino.
Nunca superou a perda do seu bem maior: a sua filha de dois anos, que faleceu em 2006 devido a problemas cardíacos.

Os últimos anos, meses, de Enke foram cruéis, tendo-se deparado ultimamente com uma grave depressão. Não aguentou o sofrimento, que o levou ao suicídio...

Preparava-se para ser titular e brilhar na baliza alemã no Mundial 2010 e para continuar a sua carreira que, indiscutivelmente, estava no auge.

Um grande atleta, que queria voltar ao BENFICA. Mas mais do que isso: um ENORME ser humano!!!


Descansa em PAZ, Enke!!! Nunca te esqueceremos!! Obrigado por tudo e... tudo o que conquistarmos também será teu!!!!



Imparáveis!!!!!

(Imagem in: www.slbenfica.pt)


Depois de uma enorme vitória em Liverpool, frente ao Everton, por 2-0 - golos da dupla atacante mais temida da Europa e arredores: Saviola e Cardozo - mais uma deliciosa vitória, desta feita para o campeonato português, frente à Naval.
Enquanto que no jogo para a Liga Europa, na primeira parte domamos o atrevido adversário e na segunda parte arrasamos, ao som do tango, fado - como queiram! -, silenciando parte do Goodison Park, com excepção para os mais de dois mil Benfiquistas presentes, que foram (como sempre!) incansáveis, fazendo-se ouvir com vários e belos gloriosos cânticos. Foi mais uma gloriosa noite europeia, onde não faltou raça, querer, magia e muita classe por parte da nossa equipa.
Já último jogo para a Liga Sagres, frente à Naval, dominamos por completo desde o início e exemplo disso foi a percentagem de bola com que terminamos o jogo. Nada mais nada menos que cerca de... 70 (!!) %. Demos aso ao nosso jogo ofensivo, com vários remates mas - para variar um pouco - nenhuma bola entrava: ou batia nos ferros, ou o guarda-redes adversário defendia o (praticamente) impossível, ou o muro da defensiva adversária fazia de isso mesmo... de muro!!
Desde cedo se notou (e nem precisávamos de comprovar na prática) que a Naval não tinha argumentos para combater perante o Enorme Benfica. Não neste momento e por motivos vários que, por sinal, são bastante óbvios.
No entanto, a verdade é uma, sempre deram a sensação de terem algum respeito pelo Glorioso Benfica. Como Jorge Jesus disse no final: antes as equipas adversárias vinham à Luz para tentar ganhar. Agora não, vêm à Luz para tentar empatar.
Tivemos pela frente um adversário que utilizou a técnica de muitos, na Luz: jogar à defesa, com um autêntico autocarro em frente à baliza que defendem. O que é pena, pois considero esta prática um manobra anti-jogo, que acaba, infelizmente, por estragar o espectáculo.
Tivemos, também, um guarda-redes da Naval inspirado. Fez a exibição da vida dele frente ao Glorioso, possivelmente. Enorme exibição, coroada com enormes defesas, que nos valeram muitos nervos...
Jorge Jesus desesperava e todos nós também, como Enorme e Unida Família Benfiquista que somos, com as emoções à flor da pele! Sofríamos com ele e com a equipa. O tempo passava e o golo não aparecia. Os nervos aumentavam, na certeza de que mais cedo ou mais tarde o golo apareceria. JJ lançava a artilharia mas... faltava o nosso matador: Tacuara Cardozo que (cirurgicamente) foi sofreu uma sanção de dois jogos de suspensão, pela expulsão no tão faltado "Túnel do Braga".
Quase no último minuto, a justiça foi alcançada, através de um golpe fatal do Benfiquista Javi Garcia. Benfiquistas, sim! Não por "apenas" jogar no Glorioso (o que já é algo de grandioso!), mas por sentir o Benfica como cada um de nós, por transbordar Mística a cada jogo, a cada contacto com os adeptos, ainda que ainda só tenha chegado esta época. Javi sabe que o Benfica é ENORME. Tão ou maior que o Real (de Madrid) "dele". Sabe como é o Real e os seus adeptos. Agora, sabe como verdadeiramente é o Benfica e as suas gentes... e, segundo o próprio: "nunca viu nada assim!". Sabe, também, o quão maravilhosos e apaixonados são os Benfiquistas. Maravilha-se com as ondas de apoio no Inferno da Luz e fora dele... chega a registar literalmente tudo o que vê e o impressiona neste imenso mar vermelho, de Norte a Sul do país. Javi também é Enorme. Deixa, se preciso for, a pele dele em campo pelo Glorioso e isso nota-se com a (tão sua) atitude com que disputa cada lance... como se fosse o último! Viva a Mística!!!
Regressando ao jogo, foi uma vitória à campeão. Com sofrimento, com muito querer e união dos atletas, com raça e muita magia. O público embalou a equipa para a vitória. A sintonia entre adeptos e equipa nunca foi tão notória. O momento do golo e a maneira como cada elemento que integra a equipa festejou é o retrato perfeito da união. Foi Javi quem marcou, mas aquele golos (e os outros também) foi de toda a equipa.
PARABÉNS, Rapazes!! Foram inexcedíveis na luta e talento. Com sangue, suor e lágrimas mas, no final, muito felizes!!!!!!!!

AMO-TE BENFICAAAAAAA!!!!!

domingo, 1 de novembro de 2009

Benfiquista com muito ORGULHO, com muito AMOR!!!



Depois das goleadas frente ao Everton (5-0) e ao Nacional (6-1), no último jogo, frente ao Braga, sofremos a nossa primeira derrota.

* Relativamente ao nosso último "brilharete" na Liga Europa - antiga Taça UEFA - há pouco a acrescentar ao que se foi lendo por esta imensa gloriosa esfera.
Fizemos um grande jogo. Se bem me lembro, a primeira parte não houve muito massacre encarnado, apesar de termos chegado à vantagem. No segundo tempo, porém, a música foi outra. Reentramos no jogo e - aí sim - arrasamos os ingleses. Foi um festival de golos, onde o nosso ataque - mais uma vez - brilhou e Cardozão - para não variar - não perdoou.
O público estava excelente, vibrando a cada passe, a cada toque de magia, a cada golo, ao som do tango dos nossos argentinos, do samba dos nossos brasileiros e da onda mexicana de todos os indefectíveis em pleno Inferno (da Luz).
Foi mais um regresso às grande noites europeias, que já muito nos fizeram sonhar. Mais um regresso ao passado, que só nos dá mais força para querer mais e mais, para chegar longe e nas assas da grande águia voar. Continua, portanto, o Sonho Europeu. O próximo capítulo é já na próxima quinta-feira, onde nada nem ninguém nos abalará.
A Europa está rendida ao Benfica e os Ingleses, em particular, também (curiosas as reacções a este jogo no site oficial do Everton. Que orgulho!).



* Na última segunda-feira fizemos mais uma vítima. Desta vez foi o Nacional da Madeira que saiu da Luz com seis golos, tendo dado - apenas - uma resposta que nem sequer deveria ter sido validada.
Não vi o jogo todo, mas sei que o nosso Glorioso voltou a encantar os seus adeptos. Comei, infelizmente, a ver o jogo a partir do 4-1, pelo que ainda tive tempo para me juntar à alegria do povo, ao festival de golos.
Mais um grande jogo, uma grande vitória por 6-1, curiosamente no jogo que assinalou o 6.º aniversário da nossa Linda Catedral. Parabéns, minha Luz!!!!
E, já que estamos numa de "curiosidades", foi igualmente interessante ver que quem marcou o primeiro golo no Estádio da Luz - o nosso Capitão Nuno Gomes - marcou, também, no dia do seu aniversário, mesmo não tendo sido titular. Saltou do banco, viu e marcou... à ponta-de-lança, à grande Nuno Golos.
Foi, também, mais um jogo feito contra uma equipa comandada por mais um "inimigo público" - dizem "eles"... os pasquins! - de Jorge Jesus. O último "inimigo público" tinha saído da Luz com 8-1 na bagagem (C. Azenha). Manuel Machado - que "amavelmente" qualificou JJ de... cretino - não foi diferente. É caso para (o JJ) dizer: "E o cretino sou eu??!!"


* Não há muitos dias, depois de uma semana estrondosa tanto a nível de exibições como de goleadas... perdão, resultados!, a UEFA (esse organismo "sem importância" actualmente para muitos) elegeu a nossa gloriosa equipa como a "equipa da semana"!! Não é para quem quer, é para quem pode. Foi um mero reconhecimento do bom trabalho que tem sido realizado no nosso clube, uma mera formalização que a todos nós nos enche de orgulho e que a muitos aumenta a azia.
Parabéns, rapazes!!!!


* Como não podermos golear sempre. Perdão, como não podemos ganhar sempre - também temos de não ganhar de vez em quando, não só para tentar (ainda que sem grandes efeitos práticos) moralizar os nossos adversários (sim porque o Benfica não tem "inimigos", tem adversários!), como também para a rotina não se tornar repetitiva e, consequentemente, aborrecida -, ontem perdemos (ou não ganhamos!) por 2-0 com o "Porto B". Peço desculpa (esta minha cabeça...!) com o Braga.
Não foi um jogo tão bem conseguido, mas o resultado acabou por não ser justo para aquilo que o Braga fez.
Sabíamos de antemão que o jogo por si só seria mais complicado, tendo em conta a época que o Braga está a fazer, mas também já esperávamos por dificuldades acrescidas mal soubemos da constituição da outra equipa: a arbitragem!
Os bracarenses tiveram algum mérito em anular alguns dos nossos ataques, em fechar os espaços e em marcar bem os nossos jogadores. No entanto, isso não seria motivo para nos terem ganho. Já jogamos contra várias equipas com qualidade e sempre resolvemos o jogo, a nosso favor, com mais ou menos dificuldades. Ontem foi diferente. Ontem "eles" vinham com a lição bem estudada e vinham reparar os danos causados pelo Senhor (?) Jorge Sousa em Leiria.
Em 12 jogos com o referido árbitro (recuso-me a referir novamente o seu nome, pois dá-me náuseas!) ganhamos apenas dois. Há coisas fantásticas, não há??!! O historial fala por si...
Ontem fomos prejudicados com todas as letras. Não nos deixaram ganhar. Aquela arbitragem foi uma VERGONHA (!!!). Ao que parece, e a julgar pelo que ontem vi, vale tudo: mãos, faltas, empurrões, tudo! Como se não bastasse, só os jogadores do Benfica é que faziam faltas mais duras, levando - não poucas as vezes - sanção disciplinar, quando os do Braga também entravam com tudo, fazendo, inclusive, faltas piores e não eram punidos; e, o pior de tudo: anularam-nos um golo limpo!!!!!! Expulsaram o Cardozo por alma de quem?? O que ele fez?? Quem é que viu?? Expulsar jogadores nos túneis está a virar moda.
VERGONHA a atitude dos bracarenses mal soou o apito para o intervalo. Eu vi(!!) o Cardozo ser agredido.
VERGONHA até a atitude dos adeptos da casa. Sem respeito pelo adversário, muito menos pelo treinador do adversário que, (só!) por acaso, foi um dos mais recentes homens que lhes deu muitas alegrias, sobretudo na excelente campanha na Taça UEFA. Como bem educados que são, insultaram-no. Sinceramente, JJ não merecia ouvir isso dos bracarenses. Sempre deu o seu melhor e sempre defendeu com unhas e dentes o clube que defendeu. Ingratos!!! Não têm outro nome...
Fazendo um pequeno paralelismo - entre treinadores; já nem quero falar no caso dos jogadores; - Camacho, não há muito tempo, foi recebido na Luz de forma exemplar pelos Benfiquistas, tendo sido homenageado pelo clube. Assim se vê as enormes diferenças, pois além de enormes, somos únicos e especiais!!
E, por falar em adeptos, ontem - para não variar - mostraram o seu apoio incondicional ao nosso amado clube. A claque, também para não variar, também está de parabéns.
Assim se vê a FORÇA DO SLB!!!!!!!!


FORÇA RAPAZES!!!! QUEM VIER MORRE!!!! Não vamos desmoralizar!!!!


*AMO-TE BENFICAAAAAAAA!!!!*


domingo, 18 de outubro de 2009

Mais uma GOLEADA!!!!


Como se sabe, o Benfica ganhou, como é nosso hábito, por 6-0 frente ao Monsanto, num jogo a contar para a Taça de Portugal.
Sem grande intensidade na primeira parte, o Glorioso foi controlando o jogo. Não tivemos uma entrada mortífera como em jogos anteriores, muito por causa do tipo de jogo e, também, do adversário.
Mesmo assim, sem forçar muito, chegamos ao primeiro golo, antes do intervalo, por Felipe Menezes, a última contratação da nossa SAD, ao qual já está a retribuir - em golos - o investimento feito e a confiança de Jorge Jesus. É um jogador novo, com talento e com muito tempo pela frente para se tornar cada vez melhor e, por conseguinte, num jogador de topo. Por estar com um relativo atraso em relação aos seus colegas, aquando da sua chegada, JJ insistiu muito em particular no jovem médio, que gosta de jogar a dez e que é fã do nosso Rui Costa. Os resultados estão à vista. É mais uma jogada de mestre do nosso treinador e, parece-me, mais uma aposta ganhar.
Na segunda parte, o Benfica colocou mais intensidade no jogo e, naturalmente, tirou partido do cansaço acumulado na equipa do Monsanto. Por isso, não foi com surpresa que os golos apareceram. Custou entrar o primeiro, mas depois - perdoem-me a expressão - foi sempre a carregar. Seguiram-se mais cinco (!!) golos. Muito normal no Benfica.
Carlos Martins, em consequência dos enormes jogos que fez na Mata Real e no decorrer do jogo de ontem, bisou. O primeiro foi marcado após uma grande assistência do nosso capitão Nuno Gomes e o segundo teve o toque de Felipe Menezes. Carlos Martins em clara subida de forma e cada vez mais em evidência.
El Conejo, ou melhor, o nosso mágico Saviola, que sempre que joga espalha classe e talento nos relvados onde pisa, saltou do banco para fazer um golo (de cabeça). Deu, também, o seu contributo para o expressivo resultado final.
Seguiu-se um livre exemplarmente marcado por César Peixoto, apontado assim o 5.º golo da noite e o seu primeiro com o Manto Sagrado.
Para acabar em beleza, Fábio Coentrão foi brindado pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver nesta sua fase na Luz. Além disso, depois de mais um grande jogo no lado esquerdo, teria de ser recompensado. Tanto procurou o golo que, de facto, acabou mesmo por marcar, dedicando-o a Quim e Nuno Gomes (penso eu! ;) ), dois dos seus muitos pilares no Glorioso.
Foram seis mas poderiam ter sido muitos mais, inclusive se dois penalties fossem convertidos, caso estes tivessem sido devidamente assinalados.
Lamentável a cena do cartão amarelo a Felipe Menezes e estúpida (não tem outro nome, peço desculpa desde já!) a reacção dos comentadores de serviço ao tentarem pôr em causa o nosso profissionalismo em causa. É caso para dizer: "Deixa (deixem, neste caso!!) de ser estúpido (s), pá!! Porra!!!".
Pequenas particularidades lamentáveis à parte, o dia de ontem foi uma grande festa - característica da Taça de Portugal - em Torres Novas e arredores. Não é todos os dias que se joga e recebe o Benfica, pelo que foi um momento inesquecível para os dirigentes, jogadores e população do Monsanto. Os seus testemunhos - antes, durante e depois do encontro - são prova disso.
Uma palavra de apreço pela forma como tão bem receberam a minha equipa e por, também, terem organizado um bonito jogo, uma bonita festa.
Para além de muita gente ter visto os nossos heróis pela primeira vez ao vivo e a cores, o Benfica, como uma instituição generosa e solidária que é, cedeu as bolas da época passada que tinha solicitado à Liga para aquele encontro à equipa da casa, prometeu recuperar um dos jogadores do Monsanto no nosso departamento e, possivelmente, cederá ainda sua a parte das receitas, proposta essa que será levada a Conselho de Administradores da SAD. Somos ENORMES.

VIVA O BENFICA!!!!!!

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Paços de Ferreira (1) - BENFICA (3)


O BENFICA venceu esta noite o Paços de Ferreira, por 3-1, em plena Capital do Móvel, debaixo de forte chuva.
Entramos muito bem na primeira parte. As tão faladas três ausências (Aimar, Di Maria e Maxi Pereira, devido a compromissos das respectivas selecções) nem se fizeram notar, praticamente.
Ruben Amorim, teve direito a entrada directa no onze, precisamente para substituir o insubstituível Guerreiro Maxi Pereira. Não sendo a sua natural posição - por ironia do destino, nem a do Maxi!! -, Ruben Amorim cumpriu exemplarmente o seu trabalho desta noite, como já havia feito aquando da paragem de Super Maxi, por lesão. Esteve impecável, ainda que tenha tido uma quota parte de responsabilidades no lance do primeiro e único golo da equipa adversária. Foi um lance onde não foi feliz, pois acabou por escorregar, em consequência do mau estado do revaldo da Mata Real, precisamente, naquele momento: estava todo encharcado de água.
Fábio Coentrão há muito que merecia a titularidade, dada à sua qualidade indiscutível, irreverência na hora de - entre outros - desequilibrar e dinâmica que imprime no jogo, sempre que entra (ou seja, a maior parte das vezes: é o 12.º jogador mais utilizado!). Grande Fábio, grande conterrâneo!!!
Carlos Martins, por sua vez, teve a dificíli missão de fazer esquecer Aimar, ainda que só por uns minutos, como se isso fosse possível. Que tarefa ingrata. O que interessa, porém, é jogar. Esse é o pensamento de qualquer jogador. Vindo de uma paragem (também ela ingrata, logo na primeira jornada do presente campeonato), Carlos Martis entrou endriabado, a comandar as tropas, dando segurança ao nosso meio campo e a fazer jogar. Apontou o segundo golo, numa grande jogada, com pincelada de El Conejo Saviola, culminado num grande remate, feito a uma distância de 106 km/ h - salvo o erro - , a uma distância considerável. Grande bomba. Nada melhor que voltar e marcar. Grande exibição. Pena foi ter saído ao intervalo por... lesão. Que azar. As consequências da sua precoce saída foram sentidas ao longo da segunda parte.
Os restantes dois golos foram apontados por David Luiz (o primeiro da noite!), após a marcação de um pontapé de canto, concluído com um fatídico golpe de cabeça. Enorme David, que não só brilha na baliza, mas como também marca.
O terceiro e último golo glorioso foi marcado por, nada mais nada menos que Óscar Tacuara Cardozo, o melhor marcador do campeonato, que esta noite voltou a frisar o porquê de ser um matador nato, não se deixando influenciar pela ligeira vantagem - que durou muito pouco - de Falcão. Mas quem é esse... Falcão?! Obrigado Sr. Luís FilipeVieira por ter comprado Cardozo e não o ter deixado ir para outras bandas. Sim, estou a elogiar o departamento de prospecção do Sport Lisboa e Benfica, bem como o nosso Presidente.(Grande Rui Costa, que também responde, após o jogo com o AEK, a mais uma pérola portista... sempre com muita classe, ironia e saber. Não é para quem quer, é para quem pode!).
"Golo de CARDOZÃO!!! Já está, já está, já está!! Já ultrapassou o Falcão!!"
Apesar da segunda parte mais fraca em termos exibicionais, dado às intempéries e ao cansaço de alguns jogadores, a nossa equipa soube gerir bem o resultado e não poderia ter respondido melhor ao resultado negativo de Atenas (perdemos, sim. Os campeões também perdem. Às vezes perde-se um jogo e ganham-se outros. Todos sabemos que não iremos sempre ganhar, nem, muito menos, golear. Vamos com calma. Nem oito nem oitenta, não devemos sobre valorizar as vitórias nem as derrotas. O resultado negativo na Liga Europa em nada compromete as nossas aspirações europeias!).
Cumprimos o nosso dever, com mais uma vitória em pleno Norte que, ao contrário do que muitos dizem, é VERMELHO!! E, hoje, ficou provada a onda vermelha, ainda que em condições adversas.

JJ, missão cumprida!!! Arrasamos, como previamente disse algures por aí, os Móveis...!
Meninos, portaram-se bem! :)


SOU DE UM CLUBE LUTADOR,
QUE NA LUTA COM FERVOR,
NUNCA ENCONTRA UM RIVAL,
NESTE NOSSO PORTUGAL!!!!!!!!!


AMO-TE BENFICA!!!!!!!

domingo, 27 de setembro de 2009

BENFICA (5) vs Leixões (0)


O Benfica venceu ontem à noite, por 5-0 o Leixões, em pleno Estádio da Luz.
Num dia em que parte das atenções estavam viradas para o Porto vs Sporting, por questões óbvias, o certo é que importante, para nós, só o nosso jogo. E isso reflectiu-se, em parte, em mais uma grande assistência na Catedral: ficando atrás do jogo deste jornada na Invicta por muito pouco, ontem eram quase 44 mil os adeptos presentes na Luz. A diferença entre estes dois jogos não foi muita, ainda que num deles jogassem Porto e Sporting. É caso para dizer: "ASSIM SE VÊ A FORÇA DO SLB"!!!
Quanto ao jogo propriamente dito, não entramos bem, mesmo tendo havido a hipótese em chegar à vantagem, logo nos minutos iniciais, depois de uns disparos consecutivos, na mesma jogada, e uma bola ao poste, e, também, devido a alguma ansiedade por parte da gloriosa equipa. Por outro lado, também não estávamos, de certa forma, à espera do estratégia do Leixões que acabou por nos baralhar um pouco.
Mesmo assim, apesar das dificuldades iniciais, fomos à luta com muita determinação e querer, pelo que não foi de admirar a nossa vantagem no marcador, primeiramente, por David Luiz, esse grande jogador, que joga com amor à camisola, que disputa cada lance como se do último se tratasse.
Apesar de todo o anti-jogo por parte da equipa de Matosinhos: entradas violentas, faltas e mais faltas, consequentes amarelos e, até, vermelhos, tentativas de queima de tempo e, como não poderia deixar de ser, o tradicional "autocarro", o Benfica foi mais forte, sempre com uma grande capacidade de gestão, e com paciência e talento, lá fomos forando e partindo o muro Leixonense.
De tanto insistir, as jogadas acabaram por ter uma sequência, as bolas foram passando, as oportunidades surgindo, e os golos marcados.
Para além do enorme David Luiz, marcaram para o Glorioso: Óscar Tacuara Cardozo (através de grande penalidade - não há dúvidas: houve falta sobre Pablito Aimar), Maxi Pereira (um dos nossos guerreios que volta aos golos depois de algum tempo de paragem devido a lesão; o seu esforço, talento e raça foram mais uma vez premiados), Cardozo (a bisar, num golpe fantástico de cabeça, à matador, reafirmando a sua liderança na lista de melhores marcadores da Liga Sagres, à frente de... Falcão!) e Ramies (o nosso trabalhador nato, o operário, o queniano que a todos nos cansa só de o ver correr. Aliou à sua grande capacidade e talento no jogo, a sua veia, também ela, goleadora. Uma delícia!).
Pablo Aimar, que foi recentemente chamado por El Pibe à selecção argentina (Parabéns Pablito!!! Mais que merecida...), fez um estrondoso jogo, mostrando mais uma vez o porquê de ser um dos melhores "diez" actuais. Com muita classe e magia, o nosso El Mago coordenou a equipa gloriosa e, mostrando-lhe o caminho a seguir, deu aso a mais uma saborosa vitória. Todas as suas jogadas tinham a sua magia bem presente.
Com tano engenho e arte, o Mota foi de... Mota vs 5, de Lambreta, ou o que quiser, para Matosinhos, essa bela cidade nortenha.

O Benfica voltou a ganhar, perdão, a golear e a encantar. Os adeptos acreditam e mais do que nunca estão a sonhar com altos voos.
Nós só queremos o BENFICA CAMPEÃOOOOO!


CARREGA BENFICA!!!!!

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Leiria (1) - BENFICA (2)


O BENFICA venceu - que novidade! - por 2-1 a União de Leiria.
Com o Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria, lotado de... BENFIQUISTAS (cerca de 21 mil Gloriosos presentes), na sequência da onda vermelha gerada em redor da equipa, o Benfica teve um jogo menos conseguido. Muito de se deveu ao péssimo estado do relvado, que dificultou em muito a gloriosa realidade, e, também, à qualidade da equipa adversária.
Todas as equipas que jogam frente ao Benfica, em determinada jornada, fazem sempre o "jogo das suas vidas". Ontem não foi excepção! Não tendo jogado muito bem, pois o Benfica não deixou, a União L. criou algumas dificuldades.
O jogo não foi fácil desde o início, mas marcamos bem cedo, pondo o Estádio adversário ao rubro, criando, até, um ambiente de mini Estádio da Luz - como várias vezes foi frisado, inclusive.
Não tendo feito exibições de outrora, até porque vínhamos de um jogo realizado na passada quinta-feira, jogamos o suficiente para dominar o jogo e ganha-lo.
Não tendo criado oportunidades para golear e com o jogo (injustamente) empatado a uma bola (golo marcado na própria baliza por David Luiz. Acontece aos melhores!! Só não acontece a quem não está lá!), a equipa mostrou porque este ano pode (e vai) ser o ano dela: com raça, espírito de sacrifício, união, luta, humildade e querer deu a volta ao resultado, ficando - novamente! - à frente do marcador, através de grande penalidade, convertida e não perdoada por Cardozão. (Até fiquei admirada com a marcação do castigo máximo à clara falta que Pablito Aimar sofreu! Quem diria... no entanto, as faltas que marcaram e mal a favor do adversário - livres e mais livres - e as que, em oposição, não marcaram e mal a nosso favor foram umas constante. Uma vergonha que me ia tirando do sério!).
Esta equipa sabe sofrer e isso ficou bem patente na noite de ontem. Afinal, os campeões fazem-se assim.


Nós só queremos o BENFICA CAMPEÃO!!!!!

sábado, 19 de setembro de 2009

Liga Europa: BENFICA (2) - Bate Borisov (0)


Na passada quinta-feira o Benfica venceu o Bate Borisov por duas bolas a zero, num jogo do âmbito da recém criada Liga Europa (antiga Taça UEFA), em plena Catedral da Luz.
Perto de 40 mil pessoas assistiram à partida que, desde logo, teve algumas surpresas em relação ao, até então, último onze inicial. Numa política de gestão de esforço dos mais utilizados e numa atitude de premiar o esforço e trabalho dos menos utilizados, entraram para o onze titular: Júlio César, Maxi Pereira (o indiscutível lateral direito, que sofreu uma lesão em Guimarães e que recuperou o seu lugar), Felipe Menezes e Nuno Gomes.
Independentemente de quem jogue, não se nota a diferença entre uns e outros. Ficou, mais uma vez provado, que temos um plantel de grande qualidade, com vários jogadores de alto nível para cada posição.
Quanto ao jogo, como era de se esperar, a primeira parte acabou por ser melhor que a segunda.
No primeiro tempo o Glorioso jogou ao ritmo que há muito nos habituou, criando oportunidades várias. A fluidez de jogo é uma constante. A equipa joga e faz jogar, brilha em cada jogada, fazendo as delícias dos adeptos. Os golos surgiram naquele tempo. Primeiro, por Nuno Gomes. Grande golo do nosso capitão, que regressou - e bem - à titularidade, com a sua devida braçadeira de líder-mor da equipa Gloriosa; a sua recepção, com o peito, foi simplesmente fantástica e, depois, com a devida frieza na hora de rematar, mandou, sem piedade, a bola para o fundo da baliza adversária "à matador", "à Nuno Golos". Já o segundo golo foi conseguido através de Tacuara Cardozo, depois de uma assistência magistral de Nuno Gomes... que passe!! A dupla atacante da noite europeia foi feliz, fazendo ambos o gosto ao pé. Nuno Gomes mostrou que ainda está vivo, ao contrário do que alguns pensam, mostrando que "quem sabe nunca esquece" e sempre com sua disponibilidade em ajudar a equipa, espírito de sacrifício e liderança, talento, trabalho e classe. Tenho dito!!
No segundo tempo, o Benfica tirou o pé do acelerador não só - e como já referiu o nosso treinador - não pode golear sempre, mas também já a pensar no jogo (que talvez tenha uma dificuldade acrescida que este para a Liga Europa) com o Leiria. O rendimento foi menor, a gestão foi evidente, mas também houve tempo para marcar mais, o que não acabou por acontecer.
O objectivo supremo era a vitória que, de resto, foi (bem) conseguida. Não podemos pedir goleadas sempre, pois temos de ser coerentes e realistas. Mesmo assim, em Leiria é para... golear, para calar bocas imundas.
O "Sonho Europeu" continua e temos equipa para... sonhar bem alto.


VIVA O BENFICA!!!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Belenenses (0) - BENFICA (4)

Depois de uma pequena paragem no campeonato, devido a compromissos das várias selecções, e após a uma goleada de 8 a 1 frente ao Vitória de Setúbal, o Benfica não poderia regressar melhor: mais uma vitória, mais uma goleada.
Desta vez a vítima foi o Belenenses que sofreu, na sua casa, uma derrota, por 4-0. Os autores dos gloriosos tentos foram: Saviola (e que golo!! Mas já lá vamos), Javi Garcia, Cardozo e Ramires.
Mais um grande jogo do Glorioso, que culminou com mais uma saborosa vitória, com direito a quatro deliciosos pastéis de nata.
Foi um "passeio" interessante para a nossa equipa, que espalhou qualidade e classe em pleno Estádio do Restelo.
Não era um jogo que se previa fácil, pois já nenhum o é e todos conhecemos a maneira como os adversários jogam contra nós, e em Belém a dificuldade era acrescida.
A equipa respondeu bem e, ao longo do tempo, tudo se tornou mais fácil. Não é por termos ganho com mais uma goleada que os adversários até então têm menos valor. O Benfica é que está muito forte e, por isso, faz com que tudo seja mais fácil.
Como não poderia deixar de ser, o Benfica ganha e o público apoia, cada vez mais. Excelente atitude dos nossos adeptos, uma vez mais, ontem à noite. Ficou provada, para não variar, a nossa força fora de portas.
Fantástico o público encarnado de ontem. Incansável no apoio e, até mesmo, arrepiante. Ninguém pára o Benfica!!!

Todos estiveram bem.
Cardozo não fez um jogo tão bem conseguido como nos anteriores, muito devido ao desgaste das viagens que fez pela Selecção do seu país, mas marcou. É um matador nato, mesmo sem fazer uma grande exibição. Está em grande forma. Alguém falou em Falcão?!
Saviola é o Senhor que se sabe. Ontem, fez uma enorme exibição. É, de facto, um verdadeiro génio e faz toda a diferença. Monumental a jogada e, consequente, golo do El Conejo. Não fez lembrar Maradona, Messi,...? Que craque. É muito talento e classe. Para ajudar à festa, as combinações com o Pablito Aimar são deliciosas. Até de olhos vendados estes nossos dois argentinos jogariam e brilhariam. Mais: até dançavam o... tango, pois claro.
Ramires é um trabalhador. Corre, corre e corre. A energia é muita e o talento também. É um "todo-terreno". Outra enorme exibição do nosso n.º 8, que culminou com mais um golo. Perfeito.
Javi Garcia é uma das grandes contratações. É, também, uma revelação. Todos conhecem o seu passado e estão cientes das suas qualidades (que não são poucas), mas na Luz ele recuperou a alegria e o brilho de jogar. É uma peça fundamental no onze de JJ. E aquela garra e raça Benfiquistas (que aqui já elogiei)...
Estão todos de parabéns por mais uma vitória e pelo grande jogo que fizeram. Jogo digno de uma equipa campeã...!!!

O vídeo da jornada... para ver e rever:




«Nós só queremos o BENFICA CAMPEÃO»!!!!

Chamem-lhe euforia desmedida, chamem-lhe o que quiserem... Nós, Benfiquistas, temos alegria e prazer em ver a nossa equipa jogar à bola, pois, ao contrário de muitos, jogamos... e os espectadores não ficam com sono. Tenho dito.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Guerreiros - parte I


As últimas novidades do Mundo Benfiquista fazem-nos parar para pensar, quanto mais não seja para nos apercebermos da grandiosidade de cada gesto, de cada detalhe.
A história do Benfica fala por si. É Gloriosa e rica, aliás, em pequenos detalhes que nos enchem de orgulho. É, também, construída por inúmeras pessoas, cujo carácter fala por si.
Já passaram pelo Benfica muitos indivíduos e, como já referi aqui, uns marcam por motivos vários e ficam sempre nos nossos corações, outros não. Esses indivíduos, porém, chegam e partem. A Instituição não... essa fica.
No entanto, apesar de amarmos infinitamente a nossa querida Instituição, de nome Sport Lisboa e Benfica, e apesar de termos a sorte dela ser sempre a mesma, independentemente de quem a constitui, não deixamos de apreciar e admirar as mais diferentes individualidades que por cá vão passando.
Poderia escrever nomes vários, que pelo passado deixam-nos no "estado de alma" que anteriormente referi.
Poderia falar dos responsáveis pela conquista de - pelo menos - um dos 31 campeonatos nacionais ou de outros variados títulos. Não, não o vou fazer.
Hoje, por uma questão de actualidade que, também, merece exaltação, vou falar de alguém que está há três épocas no Glorioso, que ainda não ganhou o campeonato nacional que tanto quer e que, portanto, não sabe qual é a sensação de se sagrar campeão pelo Benfica.
Fala-vos de Maxi Pereira, o Guerreiro.
Maxi chegou à Luz e ninguém sabia muito bem quem ele era. Chegou com os objectivos de se afirmar e de provar que merecia envergar o Manto Sagrado.
Chegou, aliás, a "reboque" do Cebola Traidor. Rodriguez convenceu cedo, Maxi nem por isso.
Com o passar do tempo, foi-se afirmando. Foi, posteriormente, para uma oposição que não era a sua: lateral direito. No meio de trocas de posição, já se notava a raça dentro de campo, sobretudo.
Não é um jogador brilhante, que faz muitas fintas e que joga bonito. Pratica, antes, um futebol simples mas muito eficaz, faz da sua garra uma arma e não são raras as vezes que põe a sua capacidade de sofrimento à prova. É um jogador, que não estando na sua posição de origem, arruma e passa o lado direito a pente fino. Por ele são poucos os que passam. Quando algo sai-lhe menos bem vai atrás do "prejuízo" até conseguir o que quer. Vai, inclusive, ao ataque, ao longo do seu corredor, como um grande lateral que já é, e faz cruzamentos deliciosos. É dos que mais corre e luta. Isto é ser do Benfica!
Recentemente sofreu uma lesão, ainda antes das competições oficiais começarem. Toda a gente teve a oportunidade de ver a sua expressão de desalento, quando o seu joelho saiu "derrotado" de campo.
Começou outra luta. Teve de recorrer à cirurgia no joelho direito, para corrigir uma lesão meniscal. Desde o dia da cirurgia que prometeu voltar em breve...
O tempo que os responsáveis clínicos estimavam para o seu regresso aos relvados era cerca de dois meses. Maxi Pereira, o nosso Guerreiro, recuperou em apenas um (!!) mês. Superou a expectativas e não nos deixa de surpreender. Apesar do infortúnio, fez da dedicação, que lhe é bastante reconhecida, novamente a sua arma.
É um exemplo para todos os profissionais. É um exemplo de força, crença e coragem. É um jogador "à Benfica", com "ganas", um pequeno grande jogador, um Enorme ser humano.
Só lhe falta o título!
Já faz parte da nossa História, da nossa imensa "Lista de Guerreiros", por tudo o que aqui foi dito e porque transborda Mística.
Super Maxi não está aqui de passagem, não faz do Benfica um clube para "dar o salto" - como dizem -, nem está a fazer turismo. Sente o Benfica como cada um de nós, sabe o peso do Manto Sagrado e sabe, também, o quão importantes são os adeptos. Maxi respira e sente o nosso Benfica, que também já é dele.

FORÇA MAXI!! VIVA O BENFICA!!!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

BENFICA (3) - Celtic (1)


O BENFICA arrasou esta madrugada o Celtic, por 3-1, num jogo realizado em Toronto, Canadá, no âmbito do torneio que envolve a maior feira daquele país.
Apesar do nosso Glorioso ter jogado por volta das 00:30h (hora portuguesa), não deixei de ver o jogo.
Em detrimento dos compromissos das selecções, sobretudo, Jorge Jesus foi obrigado a fazer grandes mudanças na convocatória e, em especial, no onze inicial.
Em Lisboa, numa política de gestão de esforço dos atletas mais utilizados ou devido a lesões, ficaram: Quim, Carlos Martins e Pablo Aimar.
Para o Canadá viajou o plantel Benfiquista sem alguns internacionais, mas um alguns jovens jogadores da nossa formação. Foram cinco os juniores chamados por JJ: Ruben Pinto, Tiago Ramos, Diogo F., Nélson Oliveira e Roderik.
Como já se previa, o onze inicial teve várias mexidas, desde logo para dar minutos aos atletas menos utilizados. Um dos objectivos do nosso treinador foi evitar que alguns dos jogadores titulares da partida com o Vitória de Setúbal jogassem para não correrem o risco de se lesionarem, tendo em conta que o relvado era... sintético.
Entramos bem no jogo. Ameaçamos desde cedo a baliza adversária, até que pouco mais de dois minutos chegamos ao golo, por Kerrison. Neste jogo começamos a perceber o real e bom jogador que temos.
Apesar da equipa ter sido modificada e da ausência da "artilharia" ser notória, jogamos bem, revelando bons pormenores e fazendo, inclusive, grandes jogadas.
Sofremos o golo quase a terminar a primeira parte.
No segundo tempo, não tendo jogado mal, o futebol praticado pela nossa equipa desceu um pouco de nível. O Celtic, que na primeira parte, poucas oportunidades tinha tido, estava, nesta fase do jogo, a querer dominar. Mas não conseguiu.
O Benfica voltou a acordar, voltou a acelerar, até que chegou ao 2-1, por intermédio de... Ruben Pinto, o médio, fã de Rui Costa e ainda júnior, que se estreou e brilhou nos seniores. Perfeito. Um golo efusivamente festejado pelo grande atleta da nossa formação e restante equipa.
Após o segundo golo, só deu Benfica. A equipa jogava bonito e deliciava os muitos benfiquistas que se encontram no Canadá.
Já com David Luiz e Saviola em campo, e com um Di Maria promovido a capitão e inspirado desde o primeiro minuto do jogo, o BENFICA chegou ao 3-1, por Saviola, em recarga, após forte remate de Di Maria.
Foi um bom jogo de futebol, um bom treino, onde foi possível que temos bons jogadores a serem formados.
Mais um Torneio, mais um TROFÉU, o 5.º só esta época, para alegria de milhares portugueses, milhares de Benfiquistas.

De lamentar, única e exclusivamente, a arbitragem. Se marcaram duas faltas a favor do Enorme, acho que já foram muitas. A nossa equipa sofria faltas mas elas não eram incrivelmente marcadas. Só visto!!!

Insólito o facto de apenas alguns jogadores do Celtic não terem o habitual número e nome na camisola.

Tenham medo. Muito medo. "Ninguém pára o BENFICA".


VIVA O BENFICA!!!!!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Que noite... BENFICA (8) - Setúbal (1)

Ontem o nosso Glorioso BENFICA jogou, encantou e muito marcou. Vencemos o Vitória de Setúbal por... 8 (!!!) - 1, em plena Catedral.
Há muito que não se via o Benfica assim, qual máquina demolidora, que desde cedo dominou e deu início ao festival de golos. Há muito, também, que não se via uma goleada deste calibre no nosso campeonato. Marcar oito golos a uma equipa já está em desuso.
Foi uma verdadeira noite de gala, fazendo lembrar os velhos tempos, onde reinavam as goleadas. Foi, portanto, uma noite "à Benfica", ao alcance de poucos (!).
A última vez que o Glorioso goleou, em casa, foi frente ao Famalicão. Decorria a época 1993/1994 e nela estava presente, entre outros, o nosso Maestro Rui Costa, como o mesmo afirmou ontem, à margem da apresentação do último reforço do defeso, Felipe Menezes (ex-Góias).
A Luz, para não variar, estava perfeita, envolta num ambiente fantástico, ao alcance dos Benfiquistas apenas. A alegria era imensa. As papoilas saltitantes aderiram em massa à romaria e a Catedral estava, assim, ao rubro.
Quanto ao jogo propriamente dito, entramos bem, desde logo a dar sinais de que queríamos acabar precocemente com a estratégia do adversário.
Todos nós sabemos, por experiência, que as equipas menores, especialmente, adoram jogar na Luz com os seus famosos "autocarros", "muro de Berlim", ou o que lhe queiram chamar...
Na véspera da partida, aliás, era por demais evidente que Jorge Jesus & Companhia temiam o célebre anti-jogo de quem vem à Catedral, em busca do empate (que tem um especial sabor a vitória ao adversário). Mesquinhas! JJ teve a prova disso mesmo em casa, frente ao Marítimo, e terá ao longo do campeonato. Tenho dito.
No entanto, o nosso treinador também tem as suas estratégias e, como o tipo de jogo do visitante era um tanto ou quanto previsível, pôs o "plano de abate de autocarros" em prática.
Além disso, ainda teve a oportunidade de dar uma bela lição a... Carlos Azenha (antigo membro do "staff JJ"). Para além de o ter demonstrado dentro das quatro linhas (com um Benfica bem posicionado, com cada jogador sabedor da sua posição e função na partida; com excelentes movimentações tanto a nível individual como, sobretudo, a nível colectivo; etc etc), demonstrou, também, fora delas. Sempre muito educado, não esquecendo, porém, a mágoa, desejou o maior sucesso para o Setúbal e respectivo treinador. Teve tempo, ainda, de dizer que o Marítimo foi à Luz jogar com três centrais e é assim, precisamente contra três centrais, que a nossa equipa gosta de jogar. De facto, o "gosto requintado e glorioso" ficou mais que provado. Palavras para quê?!
Ao contrário do que se passou na primeira jornada, em casa, frente ao Marítimo, o Glorioso traduziu em golos as inúmeras que criou. Ontem houve golos para todos os gostos. Eis os Gloriosos que fizeram gosto ao pé (ou à cabeça): Javi Garcia (Enorme jogador!! Limpa tudo no meio campo, joga e faz jogar, marca e dá a marcar... como se não bastasse, tem no sangue a raça e mística Benfiquistas. Valeu a pena o investimento feito na sua contratação);


Luisão, Cardozo (marcou de cabeça, pé... estava em noite de grande inspiração e, por isso, fez o primeiro hat-trick com o Manto Sagrado), Ramires (outra grande contratação. Corre, corre e... corre. Incansável e irrequieto), Aimar (marcou, assistiu, jogou e como um verdadeiro "diez" que é: fez jogar. Cada toque, cada passe é pura classe. A jogada do golo de Plabito é simplesmente fantástica. É o nosso El Mago no seu melhor) e Nuno Gomes (o capitão entrou e só precisou de cinco minutos para marcar. Uma perfeita assistência de Fábio Coentrão e, consequentemente, um belo gesto técnico do nosso 21, traduzido num fantástico golpe de cabeça. GRANDE NUNO!!).

Saviola, apesar de não ter marcado nenhum golo, fez uma enorme exibição. Outro jogador de grande classe.
Foi uma noite para recordar. Os Benfiquistas estão felizes, eufórios e, sobretudo, têm uma alegria enorme em ver o Glorioso jogar. Os cânticos entoam na Catedral, ao invés do que se passa noutras paragens com os brindes de assobios. Cânticos como o "Ninguém pára o Benfica", que nos faz lembrar a conquista do último campeonato, rescussitam. O BENFICA é, outra vez, uma Fábrica de Sonhos.


EU ACREDITO. VIVA O BENFICA!!!!!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

AMO-TE BENFICA!!

Depois de alguns dias de ausência aqui estou para falar de, entre outras coisas: BENFICA - Poltava (1.ª mão), Guimarães - BENFICA e Poltava - BENFICA (2.ª mão).


BENFICA (4) - Poltava (0) - goleada e muita festa na Catedral
O resultado fala por si: é expressivo e bem elucidativo daquele que foi o comportamento das equipas durante a 1.ª mão dos Play off, que dá acesso à fase de grupos da recém criada Liga Europa (antiga Taça UEFA).
Um dos factores que jogava a nosso favor era o facto da equipa ser desconhecida, pois à partida era uma das equipas mais acessíveis, o que nos deixou, ainda que apenas e só no nosso íntimo, mais relaxados. No entanto, também houve desde logo o reverso da medalha, pois, precisamente por ser desconhecida, deixou-nos, também, apreensivos/ mais cautelosos, dada à falta de informação acerca do futebol praticado por esta e toda uma conjuntura envolvente. Porém, a viagem de deslocação até a cidade de Poltava, Ucrânia, também era encarada como uma dificuldade acrescida. O desgaste seria evidente, pelo que o nosso objectivo sempre foi o de resolver a eliminatória logo no primeiro jogo, na nossa linda casa, perante a nossa gente. E assim foi...
Como se sabe, ganhamos por 4-0 numa noite de gala europeia, na Catedral.
Desde cedo tivemos o domínio do jogo e a isso juntou-se a natural classe, raça, querer e ambição, tanto a nível individual como também a nível colectivo. A Luz estava vestida a rigor. Era o Benfica que estava a espalhar classe, qualidade e requinte em cada jogada, era o Benfica que estava preparado para uma grande noite de gala, para uma bela quinta-feira europeia. Começava o Sonho Europeu, numa enorme noite europeia, minha gente.
A Luz, ainda que não estivesse cheia (mais de meia casa), estava ao rubro, a cada jogada, a cada golo, aliado aos cânticos e ondas mexicanas. O Povo estava feliz.
O público respondeu bem às exigências e levou a equipa ao colo, mostrando o caminho dos... golos. Que festival!!! Marcaram Di Maria (grande jogada colectiva, que culminou com um grande golo), Cardozo (de penalty... não sei se as câmaras mostraram, mas foi LINDO ver Jorge Jesus, no momento em que Cardozo colocava a bola na marca dos 11 metros - virado para a bancada atrás de si a pedir apoio ao nosso Tacuara, pois este - recorde-se - tinha falhado uma grande penalidade no jogo anterior. Os adeptos responderam e o nome de CARDOZO era constantemente gritado, a uma só voz, até a bola entrar e... festejar. Arrepiante!), Saviola (um enorme jogador, que a cada toque mostra a sua classe e arte) e Weldon (pela segunda vez consecutiva, voltou a entrar e a marcar. Perfeito. Só foi pena o que veio depois... a lesão num treino!).
Grande jogo, grande vitória. O sentimento, no final, era o de missão cumprida e a certeza de que a passagem à fase seguinte não nos escaparia.
Poltava saía da Catedral, com uma goleada na bagagem, mas, também, rendido ao ambiente que testemunhou: desde a estupefacção com o voar da nossa Águia Vitória, até ao ambiente infernal para eles, enquanto adversário, proporcionado pelos gloriosos adeptos, passando, ainda, pela admiração com a grandiosidade da Catedral. Para eles foi uma experiência única, fazendo do jogo um passeio por Lisboa. As fotos de toda a equipa do Poltava, jogadores e staff, com o nosso DD Rui Costa também não faltaram.



Guimarães (0) - BENFICA (1)
Vínhamos de uma vitória folgada na Liga Europa, mas isso não era sinónimo de dificuldades menores naquele que foi o jogo relativo à 2.ª jornada do campeonato.
Apesar de termos ganho o Vitória de Guimarães, no torneio da cidade, por 2-0, já era de prever que o jogo não seria o mesmo. Estavamos perante situações diferentes.
Fomos a Guimarães em busca da vitória, com a certeza de que não seria um jogo fácil e que seria uma partida bem diferente da europeia. Equipas diferentes, com sistemas de jogo distintos e com outras armas.
Fizemos um jogo menos bem conseguido. Não foi uma das piores partidas do Benfica, porque, como disse JJ a um jornalista, o Benfica não faz más exibições para esta ter sido a pior. Faz, antes, boas e muito boas partidas. Esta, porém, foi menos bem conseguida. Só isso.
No entanto, a equipa do Vitória apresentou-se bem, a querer dominar o jogo e a tentar marcar. Teve muito mérito. Ao contrário do que se pensa, não foi demérito do Benfica, como nos querem (sempre) fazer crer.
O Benfica também esteve muito bem a defender. O Guimarães tentava ter posse de bola, mas teve poucas oportunidades, pois o Benfica não deixava, anulando-as.
Tivemos uma grande penalidade a nosso favor, na qual Cardozo desperdiçou. Ou melhor, Cardozo não falhou, visto que o guarda-redes defendeu, ainda que com o pé e com muita sorte à mistura. Há dias assim. O importante é continuar a apoiar Tacuara, deixá-lo marcar e continuar a incentivá-lo no momento da conversão, sobretudo.
O zero a zero mantinha-se, e o tempo passava. Jesus mexeu na equipa e o golo apareceu. Aos 90', Ramires, num golpe fantástico de cabeça, após cruzamente exemplarmente executado por Fábio Coentrão, não deu hipótese ao guardião vimaranense.
O Benfica estava na frente do marcador e assim se manteve. Conquistou os três pontos, praticamente arrancados a ferro, com muito "sangue, suor e lágrimas". É assim que se fazem os campeões. Com muito esforço, raça, querer e ambição, com muita crença até ao último minuto do jogo, sem nunca deixar de lutar.
Lamento a atitude mostrada num espectáculo à parte. As cenas de violência dos jogos de futebol são umas constante. Não sabem perde e esquecem-se que estão muitas crianças, por exemplo, a assistir à partida e a apoiar o seu clube, os seus ídolos. Lamentável!!




Poltava (2) - BENFICA (1)
Perdemos o jogo de ontem à noite, mas não colocamos em risco a passagem à fase seguinte, dada à larga margem alcançada na Catedral, na mão anterior.
Jesus aproveitou para poupar alguns jogadores, para fazer uma certa gestão de esforço, e rodou a equipa. Foram dados minutos aos menos utilizados, pois terão muita importância no futuro.
Com a eliminatória decidida e depois de uma longa e desgastante viagem, o onze inicial foi reformulado.
Não foi um bom jogo de futebol, mas deu para o Benfica controlar, pelo que o resultado acaba por ser um pouco injusto face ao que aconteceu ao longo dos 90 minutos.
Tivemos oportunidades várias e boas jogadas, também. Keirrison, isolado, poderia ter marcado, assim como César Peixoto, após grande lance e tabelinha com Nuno Gomes.
César Peixoto deu boas indicações, ainda que actuando numa posição que não é a sua. Os 90 minutos deram-lhe a oportunidade de, entre outras coisas, afinar o entrosamento com os restantes colegas e conhecer melhor a forma de jogar da equipa.
Keirrison, apesar de ter tido uma oportunidade flagrante, passou um pouco ao lado do jogo. Não compreendi, por isso, a substituição de Nuno Gomes (regressou à titularidade e, por isso, foi o que deve ser: o capitão da equipa), que estava a fazer um bom jogo. Ao contrário do que muitos pensam, o nosso capitão ainda nos vai ser muito útil, não só a nível de liderança do balneário que tão bem conhece, como também a nível de ajudar a equipa dentro das quatro linhas. Ontem, as belas jogas, combinações e tabelinhas foram uma constante. Isto para além de ser um ponta-de-lança mais móvel, que descai para um das alas e até vai buscar o jogo... la atrás. Merece jogar mais, senhor JJ. Para memória futura, dados traduzidos em números que podem dizer muita coisa (ou, até mesmo, nada): Nuno Gomes quando entrou frente ao Marítimo (jogo relativo à primeira jornada do campeonato), o Benfica estava a perder por uma bola [resultado final: 1-1]; quando entrou frente ao Guimarães (jogo relativo à segunda jornada do campeonato), o Glorioso estava empatado a zero [resultado final: 0-1; ganhou o Glorioso]; saiu ao intervalo no jogo de ontem, frente ao Poltava na Ucrânia, o Benfica estava empatado a zero e foi no decorrer da segunda parte que chegou à desvantagem, ainda que com a entrada de Saviola tenha empatado e, posteriormente, perdido, como se sabe. Tirem as conclusões, eu já tirei as minhas.
Saviola é o que se sabe. É um jogador de classe e talento, que pode decidir jogos. Ontem não foi suficiente mas marcou, quando estávamos em desvantagem. O golo foi fantástico, com um belo pormenor técnico. O momento da recepção da bola é delicioso... esta nem toca no relvado.
Foi um jogo um pouco desinteressante, até porque, como já referi, estava tudo praticamente decidido. Só um milagre colocaria o Poltava com vantagem suficiente para seguir em frente.
Perder é sempre mau. Mesmo com todas as substituições feitas em relação ao onze titular, tínhamos todas as condições para ganhar.


Estamos na fase seguinte da Liga Europa e isso é o mais importante. Mais importante, ainda,que o jogo de ontem foi o facto de gerir o cansaço de "jogadores-chave" para o encontro que vem já a seguir... frente ao Vitória de Setúbal, para o campeonato, e que a vitória dá-nos três pontos!!!


Esta manhã realizou-se o sorteio para a fase seguinte da Liga Europa, pelo que já conhecemos os nossos adversários.

GRUPO I:

1.ª jornada:
BENFICA - BATE Borisov, 17 de Setembro;

2.ª jornada:


GRUPO I:

1ª jornada:
BENFICA-BATE Borisov, 17 de Setembro

2ª jornada:
AEK Atenas-BENFICA, 1 de Outubro

3ª Jornada:
BENFICA-Everton, 22 de Outubro

4ª jornada:
Everton-BENFICA, 5 de Novembro

5ª jornada:
BATE Borisov-BENFICA, 3 de Dezembro

6ª jornada:
BENFICA-AEK Atenas, 16 de Dezembro



É um grupo complicado, não nego, mas temos de estar preparados, enfrentando qualquer tipo de adversário sem receio, para as nossas aspirações.
VAMOS A ELES!!! Quem vier... MORRE!!!


Finalmente, em relação aos eleitos de Carlos Queiroz para a dupla jornada da Selecção Nacional, prometo não me alongar muito.
A novidade desta vez é a chamada de Nuno Gomes. Depois de tantos jogos sem convocar o nosso capitão, decidiu convoca-lo quando Portugal está já em maus lençóis.
Sempre defendi a sua ida à selecção de todos nós (?), não só pela sua qualidade mas pelo jogador importante que é no balneário de qualquer equipa. Acho que, finalmente, fez-se luz na cabeça de C. Queiroz.
Porém, fico de pé atrás com esta convocação.
Nuno Gomes é o único Glorioso a representar a equipa das quinas.
Portugal está num processo um pouco delicado, pois nada está garantido.
Liedson foi, também, convocado. A selecção de todos nós (?) é cada vez menos nossa. A nossa identidade está a perder-se.
Não sei o que pretende Queiroz com a chamada do nosso capitão, mas uma coisa é certa: estaremos aqui para ver.
Estaremos aqui, também, a torcer pelo nosso capitão, idependentemente do que aconteça à selecção.
Nuno Gomes, para não variar, respondeu, ao contrário de muita gente, ao mais alto nível à sua convocação: com muita dignidade e vontade de ajudar (!!).
FORÇA NUNO!!!!



Óscar Tacuara Cardozo renova com o nosso Sport Lisboa e Benfica até 2014. A cláusula de rescisão está fixada nos 60 milhões de euros.
CARREGA CARDOZO!!



Mais um reforço glorioso. Felipe Menezes, ex-Góias (equipa do Brasileirão), tem 21 anos e assinará por cinco anos depois de fazer os habituais exames médicos. Muita técnica, organizador de jogo e finalizador são as suas credenciais.
Que seja, então, consumada a transferência e que Jorge Jesus tenha mais um jogador pretendido. Sê bem-vindo.


VIVA O BENFICA!!!!!!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

BENFICA (1) - Marítimo (1)


O nosso Glorioso Benfica empatou a uma bola com o Marítimo, naquele que foi a jornada inaugural do Liga Portuguesa 2009/2010.
O resultado, para começar, é enganador. O Benfica fez muito mais para ir além de um empate.
Tínhamos o desejo de vencer, tínhamos o desejo de brindar o público presente - já se sabia de antemão, que ira responder ao repto lançado pelos responsáveis do clube e, assim, iria aparecer em peso - com uma exibição "à Benfica". Sabíamos, porém, que não seriam esperadas facilidades, bem pelo contrário.
Entramos bem na partida e desde cedo houve a ideia que Benfica dominaria o jogo. No entanto, tudo se complica quando tem-se pela frente inúmeras adversidades, que não são, de todo, dignas de um espectáculo de futebol. Falo, obviamente, do anti-jogo, anti-espectáculo, que desce cedo foi praticado pela equipa visitante: as constantes paragens, em consequência de pseudo-lesões. Como é natural, as paragens quebram o ritmo de jogo. O espectáculo empobrece, perde-se imenso tempo, perdem-se bonitas jogadas, dignas de serem vistas pelos amantes do futebol.
Como se isso não bastasse, a equipa do Marítimo entrou na Luz com o único e paupérrimo objectivo de jogar para o empate e, para além disso, fez questão de entrar com o autocarro pelo relvado a dentro. Não foi o autocarro que os transportara até ao nosso Templo, mas a quase... a equipa adversária estava tão encolhida no relvado, só com a preocupação de defender para, depois, explorar o contra-ataque, nomeadamente através do aproveitamento da velocidade de Manu. Note-se que o Marítimo raramente saía do seu meio campo.
Tácticas, dirão uns, estratégias, somente, dirão outros. Para mim, ter a ideia de colocar o autocarro (a propósito, no flash-interview, Carlos Carvalhal pediu para não falarem em "autocarros". Ok, não se fala mais. Sempre se pode falar num... "Muro de Berlim") não é uma táctica, é sim uma forma de praticar um futebol medíocre, uma forma, também, de anti-jogo. Pois jogar e fazer um bom espectáculo não passa só por defender. Vai muito para além disso. E, o pior de tudo, é que para se defender bem não se tem que colocar, necessariamente, um autocarro, Muro de Berlim, como queiram. São... opiniões!! Não concordo, mas respeito.
O Benfica poderia ter ganho o jogo, é uma verdade. Uns dirão que ganhou mais de metade dos jogos que realizou na pré-época e que ontem já perdeu dois pontos. Não vejo as coisas assim.
Em primeiro lugar, fazer jogos amigáveis é bem diferente de jogos oficiais (uma diferença clara e essencial para compreender certas situações).
Depois, os adversários que defrontamos ao longo nos diferentes jogos de preparação nada têm a ver com as equipas do nosso campeonato, como disse no post anterior, com a excepção de duas. A maior parte das equipas deste campeonato recorrem (e não são poucas as vezes) ao "sistema autocarro" e ao anti-jogo medíocre e desbarato. É lamentável, mas é a verdade. Esta característica será uma das nossas maiores dificuldades ao longo da época (mas não é a maior, até porque ainda há mais...!)
As equipas por onde Carlos Carvalhal passou sempre praticaram um futebol agradável, bonito, com o chamado "jogo aberto", sem recurso fácil ao anti-jogo, entre outros. Veja-se o caso do Vitória de Setúbal, por exemplo. O seu trabalho, ao longo do seu percurso, foi notável e, por isso, é considerado um dos melhores treinadores portugueses (não o melhor, porque esse é JJ).
Foi, por isso, com espanto que assistiu-se à prática do "sistema autocarro" por uma equipa planificada por Carlos Carvalhal.
É de realçar que ao longo da partida o Marítimo rematou, salvo o erro, três escassas vezes à baliza, sendo que um dos remates foi o penalty que, posteriormente, deu origem ao golo e os outros dois remates foram para... a bancada. Quim foi mais um espectador, portanto. O Marítimo não criou oportunidades de golo, mas isso não se traduz no desmérito da equipa madeirense, mas sim no mérito da nossa equipa por ter conseguido controlar e anular eventuais oportunidades dos insulares.
Numa situação inversa, o Benfica rematou dezenas de vezes, criou inúmeras vezes, mas sem sucesso. A segunda parte foi, simplesmente, avassaladora.
Faltou-nos pontaria, por um lado, e um pouco mais de sorte, por outro. Cenários que fazem parte do mundo do futebol.
A lesão prematura e infeliz de Carlos Martins, a bola à trave (através de uma bomba de Pablito Aimar), o penalty marcado contra nós (admitindo que é grande penalidade, mesmo que ainda tenha dúvidas, não teria de ser repetido?), o penalty (bem assinalado) que Tacuara Cardozo falhou, outro penalty que o árbitro não viu, a nosso favor, por mão de um jogador adversário (!), uma expulsão perdoada, foras-de-jogo tirados ao Benfica que não lembram a ninguém, entre muitas outras coisas. São situações que podem decidir um jogo.
Começou o campeonato, começou tudo de novo... as arbitragens, os casos, os prejuízos, que podem muito bem justificar o menos bem começo do Benfica, ao contrário do que se esperava: vitórias, como na pré-época.
Apesar de tudo isto, gostei da equipa. Vi o Benfica a construir grandes jogadas, a trocar bem a bola, a dominar por completo. Vi, também, os Gloriosos jogadores a jogarem com raça, a honrarem o Manto Sagrado, a fazerem de tudo para dar a volta ao resultado.
A equipa, no geral esteve bem. Cardozo e Saviola não estavam nos seus dias; Aimar, sobretudo na segunda parte, teve jogadas de génio, ou não fosse ele o nosso "El Mago"; Di Maria comprovou, mais uma vez, que melhorou muito em relação à época transacta: é um dos nossos grandes desequilibradores; Fábio Coentrão está um senhor jogador: grande jogo que fez; para mim foi um dos melhores em campo e é de destacar que acabou o jogo a... lateral esquerdo e, por sinal, foi bem preponderante e eficaz na posiçãoq ue não é dele, mas que as circunstâncias do jogo assim o obrigaram; Weldon entrou e marcou, palavras para quê?! E, para terminar, a entrada de Nuno Gomes no jogo só pecou por tardia; notou-se que, com a entrada do capitão em campo, o ritmo mudou e este acabou, até mesmo, por dar mais dinâmica ao ataque. No entanto, a cinco minutos do fim é difícil fazer milagres, sobretudo quando se tem uma equipa contrária completamente à defesa. Mostrou, em apenas cinco minutos (ou pouco mais) que pode ser muito útil à equipa. Merece mais oportunidades.
O Benfica saiu do lindo relvado da Luz de cabeça erguida, pois eles sabem que não poderiam fazer mais para ganharem o jogo. Merecem o nosso aplauso, apoio e carinho.
Não estou frustrada com o desempenho da equipa, pois não há motivos para isso. Estou, antes, com crença num futuro risonho. Acredito, também que "a jogarmos assim arriscamo-nos a ganhar todos os jogos"!! Para isso, temos de ter mais sorte - a tal sorte do jogo - e mantermos uma certa consistência do nosso bom futebol praticado até então.


VIVA O BENFICA!!!